Rio 2016: Big Data ajudando a prevenir lesões esportivas

Post resumo da matéria escrita por Muqbil Ahmar, publicada originalmente por Tech2.

De acordo com um estudo recente, atletas perdem em torno de 20 a 35% de seus salários devido a lesões, com 10% delas sendo graves e causando prejuízo a longo prazo. Mas isso poderia ser evitado por uma combinação de tecnologias como Big Data Analytics, Cloud e Internet of Things.

Nos Jogos Olímpicos 2016, as tecnologias mais utilizadas foram sensores, monitores de batimentos cardíacos, rastreadores GPS e óculos inteligentes (smart glasses). O Kitman Labs colaborou com várias equipes para ajudar a evitar lesões por meio de Big Data e análise dos dados. Fundada em 2012, essa empresa usa um sistema único de otimização do atleta que permite que treinadores avaliem como os atletas estão respondendo fisicamente e também mentalmente ao estresse das competições. Qualquer sinal negativo emite um alerta para que a equipe ajuste o treinamento para  evitar proativamente qualquer lesão. Uma fórmula estatística é aplicada para estimar o risco da lesão, que é apresentado de modo visual para fisioterapeutas e treinadores. Eles também recebem possíveis razões para o risco, para avaliarem que decisão tomar.

Créditos da foto: Rio de Janeiro – Eliminatórias do revezamento 4 x 400m nos Jogos Rio 2016, no Estádio Olímpico (Fernando Frazão/Agência Brasil)

Posted in Notícia and tagged , , , , , .