Alunos da UFRJ apresentaram protótipos de apps desenvolvidos a partir da plataforma MP em Mapas

Nesta terça, dia 5/12, os alunos da disciplina Gestão da Inovação fizeram a defesa no Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) dos projetos desenvolvidos ao longo do semestre usando o conteúdo do MP em Mapas, maior plataforma de dados abertos do estado. A ferramenta possibilita o acesso a informações georreferenciadas fornecidas por instituições públicas e do próprio MPRJ, que abrangem áreas como segurança, saúde, educação, meio ambiente, entre outras.

Os estudantes, sob orientação do professor Marcos Cavalcanti e da equipe do MP em Mapas, desenvolveram protótipos de aplicativos nas áreas de saúde, segurança, consumidor, educação e política. A iniciativa faz parte de uma parceria entre o Centro de Referência em Inteligência Empresarial (CRIE), da COPPE/UFRJ, e o Ministério Público para troca de conhecimento entre as instituições.

Um dos aplicativos criados, por exemplo, foi chamado de “Saúde Carioca”. Com base no cadastro de unidades de saúde do “MP em Mapas”, a ferramenta, por meio de georreferenciamento, mostra a localização das unidades de saúde mais próximas do usuário e traça a rota para chegar até o local. Outro aplicativo utilizou os dados da plataforma sobre as delegacias do Estado. A ferramenta funciona como um alerta colaborativo de ocorrências de crimes, que é enviado para os usuários pelo Messenger do Facebook.

Na cerimônia de encerramento da disciplina, voltada para o curso de Engenharia da Informação, mas também aberta para outras graduações, a banca que analisou os projetos elegerá um deles para que seja dado prosseguimento ao seu desenvolvimento e à sua implementação.

O evento contou com a presença do procurador-geral de Justiça, Eduardo Gussem que reforçou o sucesso da iniciativa e da colaboração entre as instituições. “Sem dúvidas, receber alunos da COPPE/UFRJ, em parceria com o CRIE, para nós do MPRJ é um reconhecimento de que a plataforma ´MP em Mapas´ segue o melhor possível. Tenho certeza de que num curto espaço de tempo, ela será fundamental para o desenvolvimento da cidadania em nosso Estado”, disse Gussem.

O coordenador do CRIE e professor da COPPE/UFRJ, Marcos Cavalcanti, destacou o ineditismo do MPRJ em desenvolver o “MP em Mapas” e de promover o compartilhamento de informações entre as instituições.

“A interação da Universidade com os órgãos públicos não é uma coisa trivial no país. As instituições gostam de fechar os dados, não gostam de se mostrar, de ter transparência e se abrir. Então, a iniciativa do MPRJ de disponibilizar os dados para os cidadãos, é uma forma de permitir que as pessoas exerçam sua cidadania e é inédita no Brasil”, disse Cavalcanti.

Posted in Dados abertos, MPRJ, Notícia and tagged , , .